Notícias

17/04/2014 - 09:16

Telexfree internacional pede concordata nos EUA

A sede da Telexfree nos EUA anunciou nesta segunda-feira, dia 14, que entrou com um pedido de concordata no Tribunal de Falências do Distrito de Nevada, nos EUA.

A companhia informou que ainda busca uma recuperação judicial, com o objetivo de reestruturar seus negócios, visando construir "uma base financeira sólida, com perspectivas de longo prazo".

Está com problemas para a entrega ou pedido de sua mercadoria? Reclame AQUI!

Foram apresentados pedidos de concordata em nome das empresas: TelexFree, LLC; TelexFree, Inc.; e TelexFree Financial, Inc.

Empresa possui 7,5 mil reclamações em um ano
De acordo com os consumidores do Reclame AQUI, a Telexfree teve 7.562 reclamações no período de 1º de abril de 2013 a 31 de março de 2014. A empresa conseguiu atender apenas 154 queixas, cerca de 2% dos casos e, por isso, está classificada como "não recomendada" pelos seus clientes.

Porta-voz mantém otimismo
Em comunicado divulgado na sua página internacional, o presidente interino da Telexfree, Stuart A. MacMillan, disse que a medida ajudará a fortalecer a estrutura financeira e operações globais da empresa. "Esperamos que o nosso negócio vai continuar a operar, e tudo faremos para apoiar os nossos associados de vendas e clientes com novos produtos e melhoria dos serviços, incluindo os serviços de VoIP que estão se expandindo para alcançar mais de 70 países", afirma o porta-voz da empresa.

A Telexfree é investigada no Brasil por suspeita de ser uma pirâmide financeira. As atividades da empresa no país estão suspensas desde junho de 2013, por determinação da Justiça do Acre. Em fevereiro, a Telexfree teve negado pela segunda vez seu pedido de recuperação judicial no Brasil. para a Primeira Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Espírito Santo (TJ-ES), a empresa não poderia fazer o pedido por ter menos de dois anos de atividade.
No vídeo, o diretor da Telexfree nega a prática de qualquer irregularidade e diz que a empresa está tomando todas as medidas necessárias para atender as legislações brasileiras e de outros países.

Fonte: G1